Conjuntivites e tempo seco

O tempo seco e a chegada do verão são sempre uma época de alerta a famosa conjuntivite. Podemos dizer que, a conjuntivite é uma doença oportunista, afetando em sua maioria pessoas com sistema imunológico baixo e deve ser tratada por um médico especialista. Os sintomas variam de acordo com o tipo da conjuntivite, e vamos falar hoje no blog um pouco mais sobre essa patologia.

A conjuntivite é uma inflamação da conjutiva, camada epitelial fina e transparente que cobre a parte branca dos olhos e as partes das pálpebras. Com uma grande variedade, as causas da conjuntivite podem ser por infecções (bacteriana, viral e outras), alérgica, irritações químicas, desordens cutâneas, uso de lentes de contato etc.

A mais famosa é aquela com o “olho avermelhado” que se refere a uma conjuntivite viral especifica e contagiosa. Fiquem ligados porque nem toda conjuntivite se apresenta “olhos vermelhos” e alguns tipos não são nem contagiosas, por exemplo, as químicas e alérgicas.

horm-blog-conjutivite-e-tempo-seco-01

Imagem: Reprodução Google Images

Como eu sei que estou com conjuntivite?

Os sinais e sintomas variam de acordo com o tipo específico da patologia, mas claro que, temos alguns sintomas comuns e que devemos ficar sempre de olho que são: hiperemia (vermelhidão) de um ou ambos os olhos, secreção (casos bacterianos: espessa, amarelada ou esverdeada). As virais nota-se aquosa ou mucoide. Alérgica: fluída, aquosa ou mucóide) e graus variados de prurido (especialmente nos casos alérgicos), queimação e embaçamento visual, especialmente quando a córnea é atingida (ceratoconjuntivite). As pálpebras podem estar acometidas (blefaroconjuntivite), podendo apresentar‑se bastante edemaciadas (inchadas).

horm-blog-conjutivite-e-tempo-seco-02

Imagem: Reprodução Google Images

Tratamentos

Devido a grande variedade de tipos específicos de conjuntivites, a melhor forma de tratar é procurar um médico oftalmologista para fazer uma boa avaliação e diagnóstico do seu caso e escolher o tratamento mais adequado à situação. Mas geralmente o tratamento baseia-se na utilização de colírios ou pomadas de antibióticos. Não custa lembrar que, um tratamento não adequado, ou sem orientação médica, pode causar sérios danos aos olhos.

Gostou do nosso post?! Achou interessante e útil? Conta pra gente e compartilhe!

Obrigado.
Equipe Hospital de Olhos Rui Marinho.