Unidade Funcionários

R. Gonçalves Dias, 75 - BH | MG

Unidade Venda Nova

Av Vilarinho, 901 - BH | MG

Fale com HORM

(31) 3273-3737

Fui diagnosticado com retinopatia diabética: conheça os tratamentos

O tratamento normalmente não cura a Retinopatia Diabética, mas pode reduzir alguns sintomas e retardar a progressão da perda de visão. Por outro lado, sem tratamento, a retinopatia diabética progride de forma constante levando a complicações graves e até a cegueira irreversível.

Fotocoagulação a Laser

Os raios laser de frequência específica já são utilizados em oftalmologia há algumas décadas em várias doenças, dentre elas a RD. O laser, na frequência verde, é direcionado na retina, causando aumento de temperatura e coagulação do tecido. A utilização do laser no tratamento da retinopatia diabética possui duas formas: a primeira para tratar o edema macular diabético, podendo ser realizado focalmente ou em grade, sendo necessário duas ou quatro sessões; a segunda utilização é para tratar a forma avançada da doença, também chamada de panfotocoagulação a laser, tratando todas as áreas da retina, sendo necessário de 8 a 10 sessões.

Há algumas décadas, a única terapia para tratamento da retinopatia diabética era a fotocoagulação a laser. Na última década, estudos comprovaram a eficácia do uso de medicamentos aplicados na cavidade vítrea. Foi descoberto que uma proteína, denominada fator de crescimento endotelial (VEGF), encontra-se em níveis elevados na retinopatia diabética. Com isso, foi desenvolvido moléculas que inibem o VEGF e levando a regressão dos neovasos (vasos malformados na retinopatia diabética proliferativa) e diminuem o escape do líquido dos vasos sanguíneos para dentro da retina na região macular central, reduzindo assim o edema macular diabético (EMD) e, consequentemente, melhorando a visão.

Terapia Intra Vítrea

Vários estudos já comprovaram a eficácia da terapia antiangiogênica intra vítrea.
A cirurgia de retinopatia diabética é indicada para casos com situações de descolamento da retina, hemorragia vítrea e alguns casos de edema de mácula diabético. Somente o oftalmologista é capaz de determinar qual será o tratamento utilizado para cada paciente. A cirurgia tem como princípio o posicionamento da retina ao fundo do olho, de maneira que o paciente volte a enxergar claramente.

A Cirurgia de Vitrectomia ocular do Núcleo de Excelência em Oftalmologia pode ser realizada em conjunto com outros procedimentos como a Retinopexia, a Fotocoagulação à laser ou mesmo o Implante de silicone intravítreo, para alguns casos o tratamento é isolado. Ressaltando que cada tipo de retinopatia diabética apresenta uma patologia diversificada, então a cirurgia é indicada de forma individual pelo médico oftalmologista, ou seja, cada caso é tratado de maneira singular com muita atenção. Geralmente este procedimento dura em média cerca de 1 hora e a recuperação, dependendo do caso, é de apenas 15 a 45 dias.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook