Unidade Funcionários

R. Gonçalves Dias, 75 - BH | MG

Unidade Venda Nova

Av Vilarinho, 901 - BH | MG

Fale com HORM

(31) 3273-3737

Cirurgia Refrativa a Laser: indicações, riscos e benefícios

Corrigir graus de miopia, hipermetropia, astigmatismo e outros erros refrativos está se tornando cada vez mais acessível com os avanços da tecnologia. Porém, quando se fala em cirurgia, é normal que os pacientes fiquem receosos com os possíveis riscos. Afinal, o procedimento, em muitos casos, requer preparação, anestesias, curativos, cuidados no pós-cirúrgico e inúmeras recomendações médicas.

Na cirurgia refrativa a laser, o processo é mais simples e diferenciado, já que trata-se de um dos métodos mais modernos para a correção de problemas oculares, mesmo aqueles que se apresentam em alto grau. Neste post vamos esclarecer algumas questões sobre o procedimento, métodos, indicações e riscos.

As cirurgias refrativas acabam com os inconvenientes que só quem usa óculos ou lentes de contato de maneira rotineira conhece. Além disso, a opção cirúrgica é sem dúvida a melhor opção em custo-benefício, já que ela diminui ou suprime os gastos com óculos e lentes de contato durate a vida.

Os erros refrativos que podem se beneficiar com essa intervenção são:

  • Miopia
  • Hipermetropia
  • Astigmatismo
  • Hipermetropia com astigmatismo
  • Miopia com astigmatismo
  • Presbiopia (vista cansada)

Sobre o Procedimento

A cirurgia é realizada com anestesia tópica (colírio), sendo relativamente rápida e de caráter ambulatorial, ou seja, com menos riscos. Não há necessidade de pontos, uso de agulhas ou injeções, tampão, curativo, sequer de internação. Para fazer o procedimento, dois principais métodos a laser são utilizados: Lasik e PRK. Eles se mostram eficientes e seguros, principalmente em relação a opções que utilizam bisturi.

O procedimento Lasik atua diretamente na córnea, modificando sua curvatura e permitindo uma melhora da visão. Com uma ferramenta especial, levanta uma pequena aba da parte superficial do globo ocular para aplicar o laser. Já o PRK remove as células epiteliais, extraindo uma fina camada da córnea para fazer o procedimento sem corte.

O método PRK pode ser mais incômodo no início e apresentar uma recuperação visual mais demorada, visão embaçada, e com possibilidade de dor nos primeiros dias. Já no Lasik o paciente consegue enxergar algumas horas depois do procedimento. A claridade costuma incomodar nos dois primeiros dias, podendo esse problema ser resolvido com óculos escuros.

Independentemente do método utilizado, é importante que se utilize adequadamente o colírio indicado pelo oftalmologista e seguir todas as instruções de pós-operatório. O paciente será acompanhado pelo seu médico e receberá orientações de como proceder. O uso de computadores, a prática de atividades físicas, a retomada do trabalho e condução de veículos fica a critério do cirurgião, e cada atividade vai ser liberada conforme a evolução do paciente.

A cirurgia refrativa a laser, de forma geral, é muito tranquila e não causa dor. O médico vai aplicar um colírio anestésico no olho afetado. Em seguida, encaminhará o paciente a um equipamento onde irá receber o raio laser diretamente na córnea.

O tempo do procedimento pode variar de acordo com o grau de correção de cada indivíduo, mas, em média, a duração é de 20 minutos para os dois olhos, variando conforme a técnica utilizada. Após a intervenção, o paciente é liberado e pode sentir algum tipo de desconforto temporariamente.

Acabando o procedimento, o paciente já pode voltar para casa.  Rapidamente, a pessoa poderá voltar a trabalhar dependendo das condições do ambiente de trabalho (sem poluição) e caso se sinta apta às atividades.

Quem pode fazer a cirurgia

Ela é indicada para quem quer eliminar o uso de óculos de grau e lentes de contato, a partir de recomendação médica. Mas, também possui algumas condições.

  • Ter o grau estável (+18 anos) e não apresentar doenças corneanas;
  • Não apresentar contraindicações nos exames pré-cirúrgicos;
  • Não possuir doenças autoimunes ou sistêmicas, como o diabetes;
  • Não estar grávida ou amamentando;
  • A córnea deve ter espessura que permita a remoção do material sem prejudicá-la;
  • O formato irregular da córnea deve ser simétrico.

Todo paciente que demonstra interesse em realizar este procedimento no Hospital de Olhos Rui Marinho é acompanhado em exames por um oftalmologista e recebe todas as orientações de uma equipe especializada em intervenções cirúrgicas oftalmológicas.

Possíveis Complicações

Apesar de ser extremamente raras os casos de complicações, é preciso tomar algumas precauções nos dias após o procedimento.  Abaixo, listamos algumas complicações que podem ocorrer:

  • Infecção: apesar de extremamente rara, existe a possibilidade de infecção.
  • Dor e desconforto após a cirurgia: pode ocorrer sobretudo nas primeiras 72 horas.
  • Halos ao redor de luzes e ofuscamento noturno.
  • Hipertensão ocular: aumento de pressão intra-ocular no pós-operatório.

Ficou alguma dúvida sobre a cirurgia refrativa a laser, ou quer saber se ela é indicada a você? O HORM dispõe de especialistas prontos para lhe atender e tirar todas as dúvidas, além de um centro cirúrgico completo, para a realização desse e outros procedimentos oculares.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook